Borbulhando: Arte Circense como ferramenta de conexão com o presente

//Borbulhando: Arte Circense como ferramenta de conexão com o presente

“E não era apenas juntar água e sabão. Precisavam de varinhas, barbantes, baldes. A destreza, por fim, talvez fosse o mais desnecessário dos itens. Poderia ser facilmente corrigida se houvesse amor pelo vento. O vento. Este sim era um elemento indispensável. Ensinava a dar forma a todas as coisas imateriais.”

Nascida no estado da Bahia, Brasil, a jovem Vanda Cortez conta em entrevista para a Campanha da Juventude pela Paz como conheceu a arte das Bolhas de Sabão gigantes. A atividade nasceu no meio circense e hoje encanta e resgata nas consciências a simplicidade do SER.

Vanda trabalha no projeto “Borbulhando – Oficina Performática de Bolhas de Sabão Gigantes”, que busca resgatar a ludicidade nos espaços públicos. Através de uma fórmula especial e hastes grandes, ela cria bolhas de 2 a 3 metros que chamam a atenção de crianças e adultos.

Arte Bolha de Sabão Gigante

Como você conheceu esse trabalho com bolhas gigantes?

Em uma convenção de circo na Argentina, na cidade de Mar del Plata. Tinha um artista circense que trabalhava com manipulação de bolhas, e tive a oportunidade de participar de uma oficina de manipulação e fórmulas especiais para bolhas.

Há quanto tempo você se dedica a esta atividade?

Há três anos.

Para você, o que significa trabalhar com bolhas?

Trabalhar com algo que nos transporta a um lugar mágico e de leveza. As bolhas são uma inspiração de minha infância, eu amava ver as bolhas de sabão flutuando e desaparecendo no ar. As bolhas me transportam para uma alegria sutil e me faz feliz ver as pessoas se encantando e se transportando para esse lugar mágico que existe dentro de cada um.

Qual mensagem você acredita que as bolhas passam para as pessoas?

Que todos somos crianças em potencial de encantamento. E que a vida pode ser leve e simples assim, como as bolhas, que flutuam apenas com água e sabão.

Qual foi a experiência mais marcante que você teve através das bolhas?

Uma vez, depois de ter terminando um trabalho, fui dar uma volta no Rio Vermelho (Salvador), à noite, para encontrar uma amiga. Tinha sobrado fórmula do trabalho e, então, comecei a fazer bolhas à noite, em uma praça. Três crianças de rua se aproximaram para brincar e, depois, uma senhora que era vendedora ambulante também veio observar. Eu a convidei para brincar e dei a varinha para ela experimentar. A senhora tinha um olhar de felicidade. Depois de um tempo brincando de fazer bolhas, ela me olhou e disse que aquele era o dia mais feliz da vida dela. Disse que tinha sentido como era ser criança e poder brincar. Foi emocionante escutar isso dela e saber que algo tão simples pode trazer esses momentos de ternura e felicidade para um coração.

“Depois, os rostos saíam mais leves. Pareciam ter recuperado algo de grande valia, e deixado para trás algo que não servia mais. Se algo não era útil durante a brincadeira de bolha de sabão, talvez não valesse a pena mesmo carregar consigo.”

Fique ligado em nosso canal no YouTube! A Campanha da Juventude pela Paz filmou as bolhas de sabão gigantes como parte do material que vai integrar a chamada para o próximo Festival da Juventude pela Paz em Salvador – Brasil.

PAZ!

Bolha de Sabão Gigante

2018-11-19T16:46:27+00:0019, nov 2018|Arte e Espiritualidade|