Introdução:

O azul dos Espelhos: Oceanos ITende-se a pensar que os oceanos, cujas águas salinas ocupam a maior parte da superfície da Terra, mais de 70% (Constanza, 1999), oferecem-nos unicamente costas e praias para passar lindas férias.

Eles são, surpreendentemente, a origem da vida na Terra. No começo, a atmosfera primitiva estava constituída por gases como metano, amônio, vapor de água, hidrogênio e pouco, ou nada, de oxigênio. O vapor de água se esfriava nas camadas superiores da atmosfera, formando nuvens, e em forma de chuva voltava a cair sobre a superfície da Terra, surgindo assim os mares primitivos (Curtis, 1993).

Foi assim que a vida na Terra, seguramente, começou nos mares primitivos, envolvendo as moléculas orgânicas – aquelas compostas pelos elementos: carbono, hidrogênio, nitrogênio, oxigênio, fósforo e enxofre – na formação de células simples primitivas capazes de realizar fotossíntese (conversão de energia luminosa em química: síntese de compostos orgânicos a partir de dióxido de carbono e água, na presença de clorofila, utilizando energia luminosa) para produzir oxigênio, que passasse à atmosfera e criasse a camada de ozônio para proteger a superfície terrestre dos raios ultravioletas e, dessa forma, criasse a vida sobre a Terra.

A partir dessa hipótese, apresentada por Oparin em 1922, vislumbra-se quão fundamental os oceanos foram e são para a vida neste planeta (Curtis, 1993; Kasting, 1993).

Nossa Mãe Divina, na mensagem do dia 13 de novembro de 2018 nos diz:

“Os oceanos são o fio entre a Criação que se manifesta no planeta e a perfeição da Consciência Divina. Por meio deles, a beleza, a graça e a vida podem existir”.

Qual é a importância dos oceanos? 

O azul dos Espelhos: Oceanos I

Os oceanos são de grande importância porque neles se dá mais de 50% da produção primária (fitoplâncton: organismos microscópicos, fotossintéticos, aquáticos de vida livre), albergam uma grande biodiversidade de organismos e, além disso, são um dos reservatórios de carbono mais importantes do planeta. Suas principais funções são regular o sistema terrestre e desenvolver um papel fundamental no ciclo global do carbono. Também fornecem recursos vivos e não vivos – representados aqui pelos reinos animal, vegetal e mineral – e proporcionam bens e serviços sociais e econômicos (PML; Delorme y Eddebbar, 2016).

De que maneira os oceanos regulam o sistema terrestre?

O oceano tem a capacidade de absorver calor, armazenando aproximadamente mil vezes mais calor que a atmosfera, o que lhe permite aquecer e esfriar muito lentamente. Essa capacidade afeta o clima, na medida em que absorve energia solar e libera calor (Delormey Eddebbar, 2016).

As correntes oceânicas redistribuem a energia solar absorvida ao interagir constantemente com o ambiente. As massas de água quente transportam o calor superficial acumulado nos trópicos para os polos, reduzindo assim as diferenças de temperatura latitudinais, o que permite ao oceano atuar como um dissipador de calor e atrasar os efeitos plenos da mudança climática (Delormey Eddebbar, 2016).

Qual é o papel dos oceanos no ciclo do carbono?

Dois mecanismos principais transferem o dióxido de carbono da atmosfera para o oceano. Um dos mecanismos, e o mais importante, é físico, no qual o dióxido de carbono atmosférico se transfere para o oceano pela simples dissolução do gás na água do mar superficial, que logo é transportada pelas correntes oceânicas para as camadas mais profundas (Bopp et al., 2017).

O segundo mecanismo, que representa 10% da acumulação de carbono nos oceanos, é biológico e ocorre pela ação do fitoplâncton: suspenso na superfície do oceano iluminado pelo sol, participa do ciclo do carbono produzindo a matéria orgânica por meio da fotossíntese. O fitoplâncton é considerado um pulmão para o planeta, comparável às florestas na terra, ao produzir oxigênio através da absorção do dióxido de carbono da atmosfera. Com isso, exerce um papel importante no ciclo do carbono e influencia positivamente a mudança climática (Bopp et al., 2017).

E a mudança climática, o que é? São mudanças produzidas, principalmente, pela atividade do homem e afetam o planeta ao longo de muitos anos. Nos oceanos essas mudanças podem produzir os seguintes efeitos: aquecimento das massas de água, derretimento dos gelos polares, aumento do nível da água, mudança no sistema de correntes e acidificação dos oceanos (Pink, 2018).

E, tendo em conta as palavras da nossa Mãe Divina:

O azul dos Espelhos: Oceanos I

“Hoje venho para conscientizá-los sobre uma vida superior, a fim de que ampliem seu conhecimento e, sobretudo, expandam seus corações, compreendendo que, para que haja harmonia e a humanidade siga evoluindo e expressando-se como Projeto de Deus, todos os Reinos devem ser respeitados, amados e cuidados pelos homens.Compreendam os oceanos como uma Morada Divina, como uma ponte para Deus dentro da Terra e, assim, amem, respeitem e reverenciem esses grandes Espelhos de Luz que lhes concedem a vida.”

Só nos resta aceitar o conhecimento para nos tornarmos guardiões dos Oceanos, disseminando o respeito e o amor a eles entre todos os jovens do planeta.

 

Bibliografia

Bopp et al., 2017. The Ocean: a carbonpump. http://www.ocean-climate.org/wp-content/uploads/2017/03/ocean-carbon-pump_07-2.pdf

Costanza, R. 1999. Theecological, economic, and social importanceoftheOceans. Ecological Economics 31:199-213.

Curtis, H. y Barnes, N.S. 1993. Biología. 5.ª edición, Ed.Panamericana, Buenos Aires.112 p.

Delorme, B. y Eddebbar, Y. 2016. OceanCirculation and Climate: anOverview. http://www.ocean-climate.org/wp-content/uploads/2017/03/ocean-circulation- climate_ScientificNotes_Oct2016_BD_ppp-3.pdf

Kasting, J.F. 1993. Early Evolution of the Atmosphere and Ocean. In: Greenberg J.M.,

Mendoza-Gómez C.X., Pirronello V. (eds) TheChemistryofLife’sOrigins. NATO ASI Series (Series C: Mathematical and PhysicalSciences), vol 416. Springer, Dordrecht.

Pink, J. 2018. Five Effects of Climate Change on the Ocean. www.conservation.org

PML, Why are theOceanimportant? Living in a high CO2world – Howincreased atmospheric CO2 is affecting our oceans.

http://cmore.soest.hawaii.edu/oceanacidification/documents/PML_TechnicalSheet_high_CO2_world.pdf